Chapter in scientific book edited by Routledge

After almost three years since it’s first written version, this month a scientific paper from REGIONEM´s founder, Silvio Tamaso D’Onofrio, was finally published. And the conquest could not be possible better: it was published by one of the most – if not the most, prestigious scientific publishing houses in the world, Routledge, based in England, with a tradition of 200+ years.

The autoethnographic study that forms the basis of the chapter raises questions on current policy and practices of archival organisations in Brazil (and perhaps beyond), in relation to the working class. Here, there is a discussion among the response of the archival sector in Brazil to a collection by a noteworthy working class writer. Will Brazilian archival organisations understand the worth of working class culture and, if so, how might this be reflected in their collecting policies? Unexpectedly, these questions gained importance when it was decided to donate a collection of documents to an institution with the necessary resources for the maintenance of the material. This chapter, then, is a call for further attention on this issue, fuelled, this is the hope, by this case study concerning the intellectual contribution through an archival collection of a Brazilian writer.

The book is available for pre-order: https://www.routledge.com/Museums-and-the-Working-Class/Chynoweth/p/book/9780367465476

More info: https://www.worldcat.org/title/museums-and-the-working-class/oclc/1243263995

* * *

(Portuguese version)

Após quase três anos desde que a primeira versão foi escrita, este mês um artigo científico do fundador de REGIONEM, Silvio Tamaso d’Onofrio, foi finalmente publicado. E a conquista não poderia ser melhor: foi publicado por uma das mais – se não a mais prestigiosa editora científica do mundo, a Routledge, com sede na Inglaterra, possuidora de uma tradição de mais de 200 anos.

O estudo autoetnográfico que forma a base deste capítulo levanta questões sobre políticas e práticas atuais das organizações arquivísticas no Brasil (e talvez além), em relação à classe trabalhadora. É discutida a resposta do setor arquivístico no Brasil a uma coleção de um notável escritor da classe trabalhadora. As organizações arquivísticas brasileiras compreendem o valor da cultura da classe trabalhadora e, em caso afirmativo, como isso pode se refletir em suas políticas de coleta? Essas questões ganharam importância após a tentativa de doação de um acervo de documentos para uma instituição com os recursos necessários para a manutenção do material. Este capítulo, então, é uma chamada para mais atenção sobre este assunto, alimentada, oxalá, pelo estudo de caso sobre a contribuição intelectual por meio de uma coleção de arquivos de um escritor brasileiro.

O livro está disponível para pré-venda: https://www.routledge.com/Museums-and-the-Working-Class/Chynoweth/p/book/9780367465476

Mais informação: https://www.worldcat.org/title/museums-and-the-working-class/oclc/1243263995

Standard

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s